Marcos Aurelio

Olá, sou Marcos Aurélio e trabalho com ilustração profissional desde 1991!

+55 11 972945255
contato@marcosaurelio.art.br

Assinar a Newsletter

Digite seu endereço de e-mail para receber notificações de novas publicações por e-mail.

Poderosas caricaturas

Poderosas caricaturas

Comecei a fazer caricaturas desde muito cedo ainda no primário.

Os amigos da escola adoravam e com o passar do tempo continuava a fazê-las por pura brincadeira.

O que sempre me atraiu nessa técnica de representação é o seu descomprometimento com a realidade que permite ao artista liberdade total de interpretação sem estar obrigado a seguir regras muitas vezes impostas pelos fundamentos do desenho.

Mas são justamente esses fundamentos que às potencializam.

Explico:

As caricaturas são versões exageradas, distorcidas e até alternativas de diversos temas e na maioria das vezes bem humorada, divertida e auto explicativa.

Exageros faciais e corporais podem ser de forma geral ou em pontos específicos.

Digo temas por justamente ser possível caricaturizar pessoas, animais, objetos, veículos ou qualquer coisa que possamos identificar como simbólico.

Os artistas mais abusados extrapolam até simbologias sagradas mas não sou dessa praia.

Certa vez recebi um interessante elogio que dizia “as pessoas ficam bonitas nas suas caricaturas” mas isso é consequência de minha proficiência na produção de artes realistas e esse apreço acaba refletido nas caricaturas.

 Quanto mais você domina técnicas de acabamento melhor fica a apresentação de seus trabalhos.

Ilustrações finalizadas com pintura digital

É claro que política é também prato cheio para caricaturas e de vez em quando faço uma apenas para acervo pessoal.


Anualmente faço máscaras de carnaval de políticos mas confesso que não sei se alguém já as usou

Uma coisa comum na caricatura é que ela encanta e diverte e ao longo dos anos os pedidos de caricaturas que fiz para homenagear ou surpreender pessoas que estavam celebrando aniversários, parcerias ou momentos especiais com esse tipo de presente inusitado acabei por perceber dois tipos de encomendas:

Quando o cliente quer a própria caricatura ele não quer muita distorção.

No máximo quer o que chamo de retrato cabeção com corpo pequeno.

A pessoa não quer a distorção ou o exagero mas sim um retrato simplificado.

E é isso o que mais vejo nas caricaturas de hoje  principalmente as feitas pelos artistas que as produzem em festas ou cerimônias.

Ok, entendo que é mais seguro ter um cliente feliz do que constrangido por ter os pelos do nariz proeminentes retratados na arte ou os agora chamados Bigode Chinês nas caricaturas femininas.

“Tira isso por favor”, “Não mostra isso por favor”, “Diminui isso por favor”.

Porém, o outro tipo de encomenda é o que é feito por terceiros sobre ou para determinada pessoa.

Ah, é nesse momento que toda malícia, olhar cínico e digamos “tocar o terror” acontece pois quem pede a encomenda assim o quer justamente para poder brincar com o homenageado, para tornar ainda mais divertida uma celebração de aniversário por exemplo.

Quantas vezes ouvi o cliente dizer “ Nossa, tá igualzinho ele”, “haha… ele vai ficar bem irritado”.

Lembramos então aquela máxima que diz “como nós nos vemos é diferente de como os outros nos veem”.

Sim, a caricatura é algo arriscado para quem faz e para quem recebe.

De um lado temos o artista usando o máximo do humor e do outro uma pessoa que pode não ser tão humorada assim.

Na arte da capa da revista Lord´s Children do guitarrista Tomati, o músico pediu a inclusão do Jô Soares que durante o lançamento da publicação fez um comentário bem legal:

Tem que ter coragem para fazer caricatura – quase perdi o emprego por causa de uma –  mas principalmente entender as críticas recebidas e dependendo do propósito da arte deve-se fazer concessões para ajustes, correções ou mudanças que demonstram também que as pessoas não enxergam o que o artista enxergou.


Essas três caricaturas , de meus primeiros chefes, quase me valeram o emprego. Se é você nessa arte então sabe do que estou falando.

Durante a produção de uma caricatura, o nível de exagero varia muito e é feita de acordo com o gosto do artista podendo ir de tímida e simples à extrema e radical.


Quando Neymar conduziu a seleção fiz essa caricatura dele e do goleiro. Essa arte com esse tipo de mensagem recebe o nome de charge.

É comum ver artistas novos – por temer magoar a pessoas/clientes que serão caricaturizadas – não arriscarem muito na produção da arte porém, como já mencionei, são muitas vezes os clientes que limitam a liberdade do artista.

E como “o cliente tem sempre razão” é melhor garantir a encomenda do serviço.

O conselho que dou seria o de em paralelo à produção da arte “delicada” que seja feito também uma versão exagerada mas que ficará para seu portfolio.

Dessa forma você estará sempre treinado e com portfolio renovado para o momento em que, por exemplo, um editor solicitar seus serviços para uma publicação.

Assim, para esse momento você terá uma variedade de formas e estilos de caricatura que pratica.

Terá variedade!

A caricatura simplificada fiz para meu convite de casamento e a arte realista
fiz para montagem em mdf.

Quando as pessoas ficam sabendo que você faz caricaturas seus olhos brilham pois conhecem o potencial desse estilo e no meu caso, na área comercial, os pedidos foram se tornando mais complexos e específicos.

O desenho é a estrutura e o acabamento é ela sendo embrulhada para presente.

Veja só, quando fiz a arte do “Fuca Bala” para integrar o layout de uma apresentação para uma proposta comercial a pedido de um diretor de arte para um cliente específico um outro diretor viu e pensou na caricatura de um caminhão mas em finalizada em ilustração 3D.

Como estava boa parte do tempo treinando e praticando desenho e desenvolvendo meus trabalhos a partir de esboços conceituais isso me ajudava a desenvolver qualquer trabalho eu vi com naturalidade poder desenvolver o trabalho pois a técnica de acabamento usando um programa de imagem 3D era conhecida por mim e assim desenvolvi a arte sem problemas.


As duas artes são caricaturas mas feitas com ferramentas diferentes com propósitos específicos onde uma é mais humorada em mostrar o resultado dos serviços de um cliente para a manutenção mecânica de uma marca e outra é mais exagera em mostrar a importância de um produto para um mercado específico de transportes

Minhas caricaturas não são tão extremas, ficando no meio termo, e uma forma que uso para idealizar e cria-las é a de procurar simular mentalmente que estou enxergando meus temas através daqueles espelhos de parques de diversão que produzem reflexos distorcidos das pessoas ou que meus olhos são como lentes grandes angulares.

É um truque bem interessante e que funciona na maioria das vezes.


O desenho é a estrutura e o acabamento o papel de presente.

Mas também gosto de brincar com a clássica e tradicional ideia de exageros baseados em cabeça grande/copo pequeno.

Mas variar a forma de representação é muito importante!

Conhecer anatomia humana ajuda muito para expandir as possibilidades, da liberdade para saber onde e como exagerar para mais ou para menos.

A simplificação também é algo incrível para explorar nas caricaturas.

Sabe aquela outra máxima da moda que diz “menos é mais” ? Pois é, cai muito bem nas caricaturas também.


Durante a simplificação gosto de primeiro fazer bem detalhado para captar a característica principal e depois ir criando as possibilidades mais simplificadas

Recomendo também que pesquise diversos artistas e suas respectivas formas de fazer caricaturas.

Fui muito influenciado pelo genial artista que marcou época na revista MAD, Mort Drucker, falecido esse ano.


O mestre Mort Drucker

Pode-se ver sua influência de seu trabalho na arte que fiz para os encartes dos discos “A Touch of Glass” e “2120 Sessions” do blues man André Christovam.


Tive o prazer de ilustrar os encartes desses discos incríveis.
Obrigado André Christovam @a.christovam

O interessante da influência é que ela é o impulso que nos ajuda a explorar determinada técnica ou estilo mas é importante a partir dela começar a potencializar seus próprios estudos e práticas que o ajudarão a encontrar o próprio caminho.

Para fazer caricaturas deve-se liberar a mente de censuras, e abusar da liberdade no censo de humor.


Não importa a técnica, seu desenho deve capturar o elemento significativo do tema que vai retratar.

Já fez auto retrato?

E auto caricatura?

Recomendo pois brincar com você mesmo, não se levar a sério e escrachar nas possibilidades de como você se vê é libertador e quebra inclusive a timidez.

Will Smith disse “ Se você sempre estiver preparado nunca precisará se preparar!”.

Sendo assim, para estar sempre afiado para fazer caricaturas é importante aprender a desenhar retratos baseados nos fundamentos do desenho.

A prática de fazer retratos aumenta seu poder de observação e com isso você passa a identificar mais rapidamente as características faciais que poderão ser alteradas, distorcidas e exageradas.

O conhecimento e prática de desenhos caricaturizados potencializam também a criação e produção de personagens pois uma vez que estiver dominando esses conhecimentos mais facilmente poderá trazer personalidade e características para seus personagens.


conhecimento, distorção, criação : entender a geometria(1) e como variações básicas(A,B e C) podem afetar a forma do tema dão liberdade para imaginar e testar possibilidades caricáticas
As distorções aleatórias ajudam bastante na busca de novas interpretações do tema.

Adoro bater na tecla de que o mais importante para desenhar melhor tanto caricaturas como desenhos em geral é o aprendizado e domínio dos fundamentos que por sua vez nos trarão liberdade criativa.

Devemos aprender para depois destruir e assim reconstruir.

A caricatura é um desenho criativo que baseia-se em variações inusitadas, descompromissadas e independentes das regras de proporções.
Procure divertir-se na busca de novas opções visuais.

Ou, em analogia, o livro de culinária serve para os que não sabem a receita pois depois que a aprendemos passamos a improvisar e a deixá-la mais original com a adição de outros ingredientes e forma de preparo.

Logo, evolução no aprendizado e prática dos fundamentos de desenho aumentarão seu poder de desenhar e, no caso das caricaturas, as tornarão muito mais fáceis de serem produzidas.

Conhecimento te trará segurança para criar, produzir e executar sua arte.

Obrigado por chegar até aqui e Sucesso para você!!

Sem comentários

Deixe uma resposta